depois do mar ainda continuar

Ainda a escrita chama de escrever para deixar passar. Sempre posso mudar o sempre nao posso nao mudar. O que a demora me aprende ainda é continuar attravessar os movimentos internos. Ha cualquier coisa que se liga ao mundo mas no momento, duma maneira diferente e, se escuto um pouco mais, ha cualquier coisa de luz que brilha no fundo, é muito fragil e muito fininho. O movimento de fundo treme como aves que tem de voar, cuando o corpo selvagem vai fazendo ligaçoes. Claro posso estar contigo. Mas como ? Cuando a imagem disaparece e da sua expansao no plano horizontal da diafragma como as terras baixas selvagens, se conta uma historia suave e dura. A aragna se curvando no seu burraco com patas a frente o a ponta do barco que mergulho na agua preta do oceano atlantico. O pensamento tambem pode ser uma imagem e a imagem nem existe. No movimento de fundo, cualquier coisa de placas tectonicas, movimentos terrestros vao sendo, falta a pele de deixar passar que o cristal nao ficou tao brilhante, o vento tem essa potênciade limpar as imagems e levar os sussurros de existencia. Ele desloca o lugar. —–    ———————————————————————————           Andando, posso sentir cuando os passos aparecem como caminho, a imagem se desfaz nos pedaços do mundo e tudo enfim continua. A Clarice Lispector fala da carne infinita do mundo que ela tem de cortar em pedaços para continuar ficar um pouco humana dia apos dia. Poderia ser que escrever faz tambem parte de seguir o rio que tece de falsa e a novo tudo esses pedaços e persistir na pergunta que fizemos a nos proprios, pesquisando nos dedos uma forma que vai sendo. Como continuar enquanto algumos bichos cortam algumas coisas ? ———————————————- ————————————————    Sentado na beira do Tejo, o homem de carne comprou o seu almoço. Olha para o mar e as ondas, as reflexoes da luz na agua entram no seus olhos e deixam a respiraçao da maré se dezlizando da sua propria respiraçao. Ele fica um pouco com o balanço e cruza as pernas. Uma rede de pensamento brilha e ele nem sabe cuais sao as palavras desse pensamento. So pode sentir o sopro dessas palavras que nao sao qualquer palavras e que sao essas palavras. Se levanto cuando uma gaivota comença a zombar.

coline

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s